Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Camaleão Andante

Um blog simples, com partilhas simples e complexo se for necessário, acima de tudo informal.

Vá ao Festival do Peixe e coma o Melhor Pastel de Nata, termina já este fim-de-semana

Está a decorrer em Lisboa desde o dia 7 de Abril o Festival do Peixe e neste mesmo festival onde o peixe é rei (como é lógico) há também um príncipe que faz a festa e ficou com os óscares. 

 

Estou a falar de nada mais nada menos da eleição do melhor pastel de nata, das 12 pastelarias finalistas, o júri chegou aos 3 melhores. 

A grande vencedora foi a pastelaria Fim de Século, de Benfica, seguida da Patyanne, de Castanheira do Ribatejo, e, na terceira posição, a Batalha, da Venda do Pinheiro. 

O júri foi constituído pelo gastrónomo Virgílio Nogueiro Gomes, pelo enólogo Domingos Soares Franco, pelo chefe pasteleiro António Marques, pela jornalista Alexandra Prado Coelho e pelo chefe de cozinha Pedro Sommer Ribeiro.

 

Este festival do peixe termina amanhã, e está a decorrer no Pátio da Galé, no Terreiro do Paço em Lisboa, por isso ainda vai a tempo de dar lá um saltinho e fazer parte desta festa. Além de poder experimentar inúmeras iguarias dos diferentes restaurantes, ainda pode participar de aulas de cozinha, passear pelo mercado gourmet, aprofundar os seus conhecimentos sobre vinhos entre outras actividades e claro experimentar um pastel de nata de um dos vencedores ou quem sabe um de cada.

 

O bilhete tem um custo diário de 15€.

É válido para uma pessoa para qualquer um dos dias do evento. Inclui acesso ao Mercado Gourmet e possibilidade de participação nas actividades paralelas (aulas de cozinha, apresentações de cozinha ao vivo, provas de vinho comentadas e "Conversas sobre o Vinho", debates e outras sessões).

 

Pode consultar todo o programa no site do evento, aqui

 

Fica a sugestão para este fim-de-semana, não deixe que a chuva o intimide, nem que seja pelo pastel de nata.

 

 

 

 

Já é possível dar a Volta ao Mundo, com um único bilhete

Todos ou pelo menos muitos de nós têm aquele fascínio de um dia poder fazer uma volta ao mundo. Pela experiência em si que deverá ser fazer uma viagem desta dimensão. 

 

Agora este sonho agora já está mais fácil de concretizar pelo menos logisticamente, pois é agora existe um bilhete de volta ao mundo. Ou seja, permite que se faça a volta ao mundo com apenas um bilhete, fazendo várias paragens pelo caminho.

 

O que é afinal este bilhete? Este bilhete tem o nome de RTW (Round the World) e pode ser composto por 16 destinos começando e acabando no mesmo local, fazendo assim a volta ao mundo completa. 

 

Actualmente existem 3 empresas que oferecem este serviço, são elas, One World, Star Alliance e Sky Team, no site de cada uma é possível fazer simulações para esta viagem. 

Mas como em todas as viagens, principalmente estas mais complexas há algumas regras que têm de ser cumpridas como:

 

- O passageiro, tem de fazer a volta ao mundo num único sentido;

- A viagem deve durar entre 10 dias a 1 ano;

- O número de destinos deve ser entre 3 e 16;

- Existe um número limite de destinos a serem conhecidos em cada zona territorial;

- É possível desembarcar num país e embarcar noutro diferente no voo mais próximo. A isto chama-se deslocamento terrestre;

- É possível alterar a data dos voos sem nenhuma taxa.

 

Claro que como qualquer volta ao mundo e esta não é excepção, o custo não é baixo. Vai ter sempre influência o numero de destinos escolhidos assim como utilização de aeroportos mais conhecidos. 

 

Agora já sabe mais uma maneira que há-de fazer a sua tão desejada volta ao mundo um dia destes, talvez num futuro mais longínquo mas fica a sugestão.

 

 

 

 

 

 

As 11 viagens de comboio mais incríveis do mundo

O mundo está cheio de recantos fantásticos e surpreendentes, com paisagens únicas, inundadas de natureza no seu estado mais puro, animais exóticos e selvagens ou monumentos espantosos que nem sabemos como é que o ser humano um dia os construiu. 

Deixo-lhe 11 rotas que poderá conhecer, basta entrar num destes comboios e deixar-se levar.

 

1. West Highland Line, Escócia 

A ligação entre os portos de Mallaig e Oban, localizados em terras da Escócia. Ao longo do percurso pode admirar os vales e as montanhas rochosas típicas da paisagem escocesa.

 

 

2. Eastern & Oriental Express, Singapura e Tailândia

Uma boa rota se pretende conhecer o sudoeste asiático, com escalas em diversas cidades Tailândia. Permite que os passageiros admirem paisagens exóticas tanto urbanas quanto naturais.

 

 

3. Maharajas Express, Índia

É o comboio mais luxuoso e caro do mundo. O trajecto percorre 5 circuitos, com mais de 12 destinos em todo o noroeste e região central da Índia, especialmente no Rajastão. 

 

 

4. Trem The Ghan, Austrália

Com um longo trajecto, que atravessa a Austrália de norte a sul, que percorre milhares de quilómetros no meio do deserto e da natureza.

 

 

5. British Pullman, Inglaterra

Esta viagem começa na estação Victoria, em Londres, atravessa Paris, os Alpes Suíços e a Áustria e para terminar a rota de 31 horas em Veneza, Itália. Além de ligar vários países europeus passar por alguns dos lugares mais icónicos da Europa e do mundo.

 

 

6. Bernina Express, Suíça e Itália

Com este percurso pode apreciar a beleza oferecida pelas paisagens dos picos nevados na Suíça. É tão magnífica que foi foi declarada Património da Humanidade pela UNESCO.

 

 

7. Ferrovia Qingzang, China

A região autónoma do Tibet (famosa por ser um dos berços do budismo e que actualmente está ligada à China) e o resto da China se ligam através desta rota ferroviária. É a linha ferroviária mais alta do mundo, já que passa pela Tanggula, uma montanha de 5.072 metros de altitude.

 

 

8. Trem Hiram Bingham, Peru

Com partida de Cuzco até à entrada do parque de Machu Picchu. A viagem percorre o Vale Sagrado dos Incas, campos selvagens e pequenos povoados que valem a pena serem admirados.

 

 

9. Trem Azul, África do Sul

Um dos mais conhecidos comboios-hotel do mundo cruza uma paisagem com uma misteriosa aura azul e violeta na África do Sul. A rota é entre a Cidade do Cabo e Pretória (capital do país) leva 27 horas.

 

 

10. Trem do Fim do Mundo, Argentina

Deve o seu nome ao facto do seu trajeto alcançar o ponto remoto da Patagônia argentina, um lugar cheio de paisagens fabulosas. 

 

11. Golden Eagle Trans-Siberian Express, Rússia, Mongólia e China

Um dos comboios mais antigos e icónicos do mundo. O seu percurso passa por dois continentes, Europa e Ásia e é por esta linha que a China e a Rússia comunicam. O que tornam esta viagem especial é a misteriosa névoa da manhã, que se levanta sobre o lago Baikal, e à medida em que se sobe ao ar livre na locomotiva, surge uma bela paisagem de uma praia isolada.

 

 

 

Ser feio dá lugar na mesa do canto do restaurante

Todos sabemos que em vários locais existe selecção de clientela e agora chega-nos mais um exemplo desta selecção mas em restaurantes e nos considerados de luxo. Pois é, ter dinheiro afinal não chega nem paga tudo.

 

Recentemente foi feito um estudo pelo programa do Channel 4. Este estudo baseou-se numa experiência que não foi nada mais, nada menos que enviar quatro modelos a três dos mais luxuosos restaurantes de Londres. De seguida, o apresentador do programa, Adam Pearson, que sofre de neurofibromatose e cuja face está desfigurada com vários tumores,visitou os mesmos locais. O resultado não podia ter sido mais esclarecedor.

 

As modelos foram todas encaminhadas para as melhores mesas que normalmente são junto à janela e com vista enquanto o apresentador foi levado para mesas mais escondidas e em alguns casos não o deixaram frequentar o restaurante. 

 

O chef Simon Rimmer, que participa no programa, admitiu que os restaurantes de luxo têm muitas vezes aquilo o que  se chama de “golden tables” e que são reservadas para os clientes com melhor aparência.

 

Com isto se conclui que realmente ter dinheiro não chega para se poder ir onde se quer, a aparência ainda é um entrave para se poder frequentar determinados espaços, pela desculpa que uma boa aparência dá boa fama e chama mais pessoas bonitas, ou padrões de beleza dignos de sitios considerados de luxo.

 

 

 

Herdade da Matinha, um refúgio no meio do Alentejo

Este fim-de-semana, foi de passeio grande. Fui até à Herdade da Matinha, situada entre o Cercal do Alentejo e Vila Nova de Milfontes. Um verdadeiro refúgio para uma escapadinha de paz e descanso. 

 

Rodeada de natureza, a herdade está pensada ao pormenor para que qualquer hospede se sinta em casa. Além dos 20 quartos, existem inúmeros recantos cheios de conforto e privacidade para quem os utiliza. E fora das duas casas por onde os quartos estão distribuídos, existe ainda a zona onde se podem ver e conviver com os cavalos, com a possibilidade de fazer um passeio, tive a sorte de poder ver uma égua de apenas 2 meses em plena natureza.

É possível também fazer um dos inúmeros passeios pela herdade e na sua envolvente, aproveitando o que de melhor a Costa Vicentina tem para oferecer. Por já não estar calor, não aproveitei a piscina mas fica a vontade para uma tarde de calor em pleno campo.

 

Aqui não há televisão, os quartos têm todos uma televisão mas só é possível ver dvds, como indicado quando cheguei "não há televisão, as más noticias ficam lá fora", e assim foi pedi uns dvds para ver à noite antes de adormecer e de resto nunca se está no quarto. 

 

Como não podia deixar de aproveitar o facto de estar pela Costa Vicentina, fui jantar ao famoso restaurante A Tasca do Celso, em Vila Nova de Milfontes. este é um dos restaurantes referência desta vila e de todo o Alentejo. De concepção simples mas sofisticada o suficiente com boa comida e bom vinho como não poderia deixar de ter. A decoração cuidada, acompanha o conceito do restaurante e a boa disposição das refeições que serve.

 

Um bom programa para se deixar levar pela natureza e boa gastronomia que esta região magnifica tem para oferecer a quem a visita.

 

 

 

Descubra a Arrábida, locais únicos numa serra incrível

Todos sabemos que a Arrábida, é um pequeno paraíso a pouco mais de 45 minutos de Lisboa. Formada por um conjunto de pequenos tesouros escondidos entre a serra e o mar, desde a água cristalina das praias até à intensa vegetação da serra, cheia de caminhos singulares.

 

Com um parque natural de cerca de 11 mil hectares, a rodear Azeitão, Sesimbra, Palmela e Setúbal, é um ponto estratégico pela sua localização e beleza natural para o turismo.

Hoje deixo alguns dos turismos rurais que fazem o cenário ficar quase perfeito porque só fica a faltar você.

 

Ymca Camp-Parque Ambiental Do Alambre - constituído por 8 bunglows onde a configuração pode ser alterada e adaptada às necessidades dos hóspedes e uma zona com parque de campismo exclusiva para escuteiros. 

É possível fazer ainda inúmeras actividades como: rapel, escalada, caminhada e canoagem. 

 

Villa Oasis - localizado no centro de um capo de golfe e acesso directo a esta, esta villa situa-se em Azeitão, e o idela para quem gosta de dar umas tacadas. 

 

Quinta dos Catralvos - situada mesmo na Serra da Arrábida, aqui convive a produção de vinhos de elevada qualidade e uma cozinha inspirada no melhor dos aromas e paladares de Portugal. Um local onde tudo é feito para proteger o ambiente. Aqui não é só paisagem.

 

Casa da Adôa - situada na paradisíaca baia do Portinho da Arrábida onde o rio Sado encontra o oceano Atlântico. Recuperada e vocacionada para o turismo de habitação em regime de alojamento particular, todos os seus quartos têm os condições necessários para que tenha a maior comodidade e conforto.

 

O Moinho do Marco - a privilegiada localização oferece impressionantes vistas da cidade de Setúbal, a Reserva Natural do Estuário do Sado, a península de Tróia e a área sul da Serra da Arrábida. Aqui tem 2 opções de alojamento o Moinho que dá para 2 pessoas ou a Casa do Moinho, que tem capacidade para 5 pessoas.

 

Quinta de São Filipe - situada em Setúbal, no inicio da serra da Arrábida, a 44km de Lisboa. Rodeada pela Serra da Arrábida e apresenta villas modernas com varandas com vistas sobre a Baía do Sado e o Oceano Atlântico. Os hóspedes podem desfrutar de vistas panorâmicas da cidade de Setúbal, do Castelo de São Filipe e da Península de Tróia, a partir do seu pátio privado totalmente mobilado. 

 

 

Passeio de balão de ar quente gratuito no Alentejo? Agarre o seu

Começou mais um Festival Internacional Rubis Gás Balões de Ar Quente,  este ano celebra a edição nº 19. Realiza-se nas localidades de Alter do Chão, Fronteira e Monforte, no distrito de Portalegre, de 8 a 15 de Novembro.

 

Este é o maior festival do género em Portugal e vai ter trinta e cinco balões de várias equipas europeias, de países como Espanha, França, Bélgica, Reino Unido, Holanda ou Alemanha.

Se sonha em ter uma experiência deste género é possível, o único requisito é ter de ser madrugador. Como acontece todos os anos, é possível ao público  voar gratuitamente, de 9 a 14 de Novembro. Na programação do evento estão previstos dois voos por dia (um de manhã e outro à tarde), que duram, em média, uma hora.

 

Interessado?

Então deverá estar às 6h45 para o passeio da manhã, ou às 14h45, para o da tarde, nos pontos de encontro definidos: em Alter do Chão, junto ao campo de futebol, e em Fronteira, na recta de todo-o-terreno ou junto ao terreno da Ribeira das Vargens.

 

Para saber mais informações e todos os pormenores de como pode ser o sortudo a fazer um voo de Balão basta consultar a página de facebook da organização.

 

 

Portugal Restaurant Week, a experiência

Ontem realizei a minha experiencia do Portugal Restaurant Week, o restaurante escolhido foi o Arola do Penha Longa Resort, tinha feito a marcação à cerca de uma semana mais ou menos. Nunca tinha experimentado este conceito deste evento, mas o ano passado já tinha andando a ver o que havia.

A minha escolha pelo Arola, foi principalmente pelo menu, vou explicar-vos como escolhi. Fui ao site do evento e abri os restaurantes que mais me chamaram a atenção e vi cada menu, fui eliminando por este ou aquele motivo e fiquei com um top 3 e aí pensei que já tinha ouvido falar do Arola como um bom restaurante fui ver alguns comentários e fiquei convencida e ainda bem que o escolhi porque é realmente muito bom, recomendo e o conceituado Chefe catalão Sergi Arola faz jus à fama que tem. 

 

Marquei o almoço para a 13h30 mas cheguei la um pouco antes mas não houve qualquer problema, o atendimento da recepção de quem leva à mesa foi super simpático e sentaram-nos logo não nos fizeram esperar pela hora marcada. 

O ambiente é requintado e moderno, simples e com uma vista linda sobre o campo de golfe, mesmo com chuva como esteve ontem. O atendimento como referi já um pouco logo desde a chegada, muito atencioso, vestidos todos de acordo com o restaurante mas não em demasia, muito simpáticos, a sorrir e disponíveis para tudo.

 

O menu, começa pelo couvert, um cesto de pão de coca com tomate e alho, onde o tomate e o alho devem ser barrados no pão e depois regados com azeite e sal, bastante interessante. Seguiram-se as tapas, que são três e em doses para dividir. A primeira é Lascas de Porco Ibérico, depois as famosas Batatas Bravas Arola  (são realmente diferentes e muito boas, fica-se com vontade de comer mais) e por fim Asas de Frango do Campo  (são um pouco picantes mas muito boas também). Cada tapa só foi servida quando a anterior estava terminada, ninguém ali está com pressa e durante este tempo vão sendo servidos pãezinhos para acompanhar. 

O prato principal, optamos pelo prato de carne, Manta de porco com puré de Surça, e digo já que estava esplêndido, a carne desfazia-se levemente ao cortar e o puré é maravilhoso, com sabor a farinheira, batata e cenoura é divinal. Por último a sobremesa que para mim é sempre o mais arriscado porque há muitas probabilidades de não gostar, foi Copa Catalana que é uma pannacota de bolacha com gelado de tangerina e espuma catalana. Estava boa só que eu não gosto de gelado de tangerina, mas tudo o resto estava muito agradável. É possível pedir para mudar o sabor do gelado segundo as indicações que me deram mas não fazia a mínima ideia, numa próxima vez já sei. 

 

Assim o balanço final é realmente muito positivo, o restaurante muito simpático e com uma comida realmente muito boa, claro que fora do circuito de preços do Portugal Restaurant Week não é acessível, porque isto é que dão direito os 20€ por pessoa, paguei à parte as bebidas, o couvert e os cafés que têm um preço absurdo de 3,50€ mesmo sendo nespresso.

Para o ano há mais, fiquei convencida com o evento.